Orientação e Cuidados - Colidis - Medicamento seguro para o bebê
Paused...

    COLIDIS

    HOME        •        COMO LAVAR AS MÃOS        •        ORIENTAÇÃO E CUIDADOS        •        COMO FAZER UMA MÁSCARA        •        AMAMENTAÇÃO

    Nas primeiras semanas de vida, naturalmente o bebê já precisaria de cuidados

    especiais. Embora, de forma geral, as crianças não façam parte do grupo de risco,

    nessa época de pandemia, o cuidado deve ficar ainda maior. Pensando

    nisso, reunimos algumas dicas e recomendações para ajudar a todos nesse momento.

    Nas primeiras semanas de vida, naturalmente o bebê já precisaria de cuidados especiais. Embora, de forma geral, as crianças não façam parte do grupo de risco, nessa época de pandemia, o cuidado deve ficar ainda maior. Pensando nisso, reunimos algumas dicas e recomendações para ajudar a todos nesse momento.

    Comece com você

    Já viu quais os passos para uma higiene adequada das mãos? Além disso, é importante lembrar-se de evitar levar as mãos ao rosto e higienizá-la frequentemente após esse contato bem como ao tocar qualquer superfície que possa estar contaminada. Assim, ao se aproximar do bebê, tenha certeza de que elas foram imediatamente observadas.

    Posso receber visitas?

    Em algumas situações, é inevitável receber pessoas em casa. Nesses casos, o ideal é evitar o contato ou mesmo a proximidade da visita com o bebê. De qualquer maneira, visitas sociais devem ser evitadas. Se o objetivo da visita é conhecer o bebê, recomenda-se fazer ligações por vídeo. O abraço virá em breve!

    Devo ir ao pronto-socorro?

    As consultas ambulatoriais ou em consultório devem ser priorizadas para o atendimento das crianças que não estão passando bem, mas que não correm risco de vida. Se possível, contate o seu pediatra para orientações. Porém, em algumas situações, buscar o pronto-socorro é inevitável – caso a criança tenha sintomas graves e persistentes ou não seja possível entrar em contato com o pediatra, não adie a avaliação médica.

    E o beijo, o abraço, o amor?

    É importante que os bebês sintam o amor de seus pais e irmãos desde o início da vida. Porém estamos em uma época desafiadora, para dizer o mínimo. O contato com o bebê de pessoas que não estão isoladas na mesma residência deve ser evitado ou minimizado ao essencial. Os cuidados devem ser redobrados se alguma das pessoas que convivem com o bebê apresenta sintomas de COVID-19 ou faz parte dos grupos de risco para a doença. Consulte seu pediatra caso tenha dúvidas quanto à melhor maneira de garantir a proteção de sua família.

    Como faço para levarmeu bebê ao pediatra?

    A consulta com o pediatra é fundamental e, em diversos casos, não pode ser adiada. Converse com o seu pediatra para que decidam juntos se essa consulta deve ocorrer nesse momento e também se deve ser presencial ou por meio de ferramentas da telemedicina. As clínicas estão se organizando para receber os pacientes respeitando as normas de segurança. Por isso, respeite as orientações e colabore com os profissionais da saúde.

    Se tiver mais dúvidas,converse com seu pediatra.

    Lembre-se que o isolamento social ainda é a única forma de reduzir a transmissão do vírus e colaborar para o controle da pandemia.

    Comece com você

    Já viu quais os passos para uma higiene

    adequada das mãos? Além disso, é importante

    lembrar-se de evitar levar as mãos ao rosto e

    higienizá-la frequentemente após esse contato

    bem como ao tocar qualquer superfície que possa

    estar contaminada. Assim, ao se aproximar

    do bebê, tenha certeza de que elas foram

    imediatamente observadas.

    Posso receber visitas?

    Em algumas situações, é inevitável receber pessoas

    em casa. Nesses casos, o ideal é evitar o contato

    ou mesmo a proximidade da visita com o bebê.

    De qualquer maneira, visitas sociais devem ser

    evitadas. Se o objetivo da visita é conhecer

    o bebê, recomenda-se fazer ligações por

    vídeo. O abraço virá em breve!

    Devo ir ao pronto-socorro?

    As consultas ambulatoriais ou em consultório

    devem ser priorizadas para o atendimento

    das crianças que não estão passando bem,

    mas que não correm risco de vida. Se possível,

    contate o seu pediatra para orientações.

    Porém, em algumas situações, buscar

    o pronto-socorro é inevitável – caso a criança

    tenha sintomas graves e persistentes ou não

    seja possível entrar em contato com o pediatra,

    não adie a avaliação médica.

    E o beijo, o abraço, o amor?

    É importante que os bebês sintam o amor

    de seus pais e irmãos desde o início da vida.

    Porém estamos em uma época desafiadora, para

    dizer o mínimo. O contato com o bebê de pessoas

    que não estão isoladas na mesma residência deve

    ser evitado ou minimizado ao essencial. Os

    cuidados devem ser redobrados se alguma

    das pessoas que convivem com o bebê

    apresenta sintomas de COVID-19 ou faz parte

    dos grupos de risco para a doença. Consulte seu

    pediatra caso tenha dúvidas quanto à melhor

    maneira de garantir a proteção de sua família.

    Como faço para levarmeu bebê ao pediatra?

    A consulta com o pediatra é fundamental

    e, em diversos casos, não pode ser adiada.

    Converse com o seu pediatra para que decidam

    juntos se essa consulta deve ocorrer nesse

    momento e também se deve ser presencial ou

    por meio de ferramentas da telemedicina. As

    clínicas estão se organizando para receber os

    pacientes respeitando as normas de segurança.

    Por isso, respeite as orientações e colabore

    com os profissionais da saúde.

    Se tiver mais dúvidas,converse com seu pediatra.

    Lembre-se que o isolamento social ainda

    é a única forma de reduzir a transmissão do

    vírus e colaborar para o controle da pandemia.